Destaque

Como a restauração florestal afeta o ciclo da água?

Fonte

Universidade de Liège

Data

segunda-feira, 16 Maio 2022 20:50

Restaurar ecossistemas florestais é uma maneira eficaz de armazenar carbono atmosférico e mitigar as mudanças climáticas e existem muitas iniciativas para aumentar a cobertura florestal global. No entanto, os efeitos dessas iniciativas sobre os recursos hídricos ainda são pouco compreendidos. Neste contexto, um novo estudo realizado pela Universidade Wageningen, nos Países Baixos, com a participação do Dr. Jean-François Bastin, da Gembloux Agro Bio-Tech da Universidade de Liège, na Bélgica, calculou o impacto da restauração da cobertura arbórea em grande escala nos fluxos de água e na disponibilidade de água em escala global. O estudo foi publicado na revista científica Nature Geoscience.

Os resultados do estudo mostram que é esperado um aumento global da evaporação com o aumento da cobertura arbórea. Anne Hoek van Dijke, doutoranda em hidrologia e sensoriamento remoto na Universidade Wageningen e primeira autora do estudo, destacou: “Ao combinar modelos que caracterizam a evaporação da água associada à vegetação e mapas recentes do potencial de restauração da cobertura florestal, calculamos onde e em que medida o aumento da evaporação, associado à restauração, retornaria à superfície da terra como aumento da precipitação.”

Os resultados mostram que a restauração em grande escala da copa das árvores pode aumentar localmente a evaporação anual em uma média de quase 10 litros por metro quadrado de floresta restaurada. Localmente, nos trópicos em particular, esse efeito pode ser muito maior, chegando a quase 250 litros por metro quadrado. O problema é que nem toda essa água retorna à superfície da Terra. Apenas cerca de 70% da água extra na atmosfera retorna à Terra, enquanto os 30% restantes são levados para os oceanos pela chuva. Em escala global, isso significa que a restauração de árvores resulta em uma diminuição líquida na disponibilidade de água.

Para bacias hidrográficas individuais, o impacto da restauração de árvores é mais complexo. Após a restauração da cobertura arbórea, os fluxos nas principais bacias hidrográficas geralmente diminuiriam (até cerca de 10%). Mas para outras bacias hidrográficas (por exemplo, o rio Yangtze e o Amazonas), a redução no fluxo será próxima de zero porque o impacto negativo da evaporação será compensado pelo aumento das chuvas. Curiosamente, algumas dessas bacias podem até ganhar água.

“No estudo, mostramos que a restauração de árvores alterará significativamente os fluxos e a disponibilidade de água. Estratégias futuras de restauração de árvores devem levar em consideração esses efeitos hidrológicos. Estratégias inteligentes de restauração de árvores são necessárias para garantir o abastecimento de água local e remotamente ou para melhorar abastecimento de água em regiões com escassez de água”, concluiu Anne Hoek van Dijke.

Acesse o artigo científico completo (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade de Liège (em inglês).

Fonte: Universidade de Liège.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que  cadastrados no Canal Ambiental e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Ambiental, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2022 ambiental t4h | Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Meio Ambiente, Saúde e Tecnologias

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account